MANDA SOM | +INFO:+244 991400192

Breaking News

Trump diz estar-se perante uma "ocasião histórica"


Donald Trump durante o discurso de vitória

O magnata Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos
O discurso de vitória de Donald Trump surgiu já de madrugada (às 8.00, hora de Lisboa) e serviu para garantir que a América será grande outra vez, tal como prometeu durante a campanha, e para introduzir um tom conciliatório, ao prometer que será o presidente de todos os americanos. "Esta é uma ocasião histórica, mas para ser histórica temos de fazer um grande trabalho", afirmou Donald Trump no discurso de vitória feito na sede de campanha em Nova Iorque.
Antecedido no palco pelo seu vice-presidente, Mike Pence, Trump sublinhou que a "campanha acabou, mas o trabalho em todo este movimento, só agora começou". Colocando ênfase no facto de que a sua não "fora uma campanha" mas um "enorme movimento" de americanos de todas as raças e credos, Trump deixou no ar a hipótese de que, daqui a quatro anos, pode muito bem ser, de novo, candidato.
Trump teve uma palavra especial para os agentes dos Serviços Secretos, encarregues da sua proteção, dizendo que "são pessoas com quem não me quero meter de maneira nenhuma", assim como um profundo elogio para os pais, já falecidos, "que estão a olhar para mim lá de cima", estendendo os elogios aos irmãos, à atual mulher e à ex-mulher.
Reconhecendo que "isto da política é uma coisa dura, difícil e muito desagradável", o presidente eleito destacou o apoio de Rudy Giuliani, antigo presidente da Câmara de Nova Iorque, um dos raros republicanos de renome que se mostrou sempre a seu lado.
"Temos grandes coisas a fazer", disse Trump, salientando que "temos um plano económico para duplicar o crescimento e tornar a América maior do que nunca", continuou, para dizer em seguida que "vamos planear o futuro do nosso país, de forma ousada".E insistiu que "vai ser uma tarefa maravilhosa" reconstruir a América.
Quanto às relações com o resto do mundo, Trump salientar que "iremos liderar de forma justa com todos" os outros países. "Vamos dar-nos com todas as outras nações que queiram ter uma boa relação connosco", afirmou o vencedor das presidenciais norte-americanas.
No início da sua intervenção começou por pedir desculpa "por vos ter feito esperar", referindo que o atraso se devera a um telefonema da candidata derrotada, a democrata Hillary Clinton, a conceder-lhe a "nossa vitória". E Trump sublinhou o "nossa vitória".
O presidente eleito garantiu que seria o presidente de todos e que iria trabalhar para a "união de todos os americanos, republicanos, democratas e independentes".